Da direção e do movimento de nau

Da direção e do movimento de nau
Florianópolis, como um continente, havia ficado para trás naquele mês de março de 2009. Dentro de um utilitário com bau, estávamos a uma experiência de fazer valer o que se busca: havia muito tempo que particularmente me interessava ter um outro modo de vida, algo que nos aproximasse mais de um ritmo ditado pela natureza, e que nos levasse ao melhor de nós quanto a uma perspectiva de vida. A organização à mudança partiu desse princípio. Mudávamos, também é verdade, pela necessidade minha de me entender em busca por um espaço que nos trouxesse realizações nesse sentido. Durante poucos meses, iríamos viver em um lugar bastante retirado no interior do Rio Grande do Sul, tão distante de tudo a ponto de já se sentir em outro planeta.
Tenho memórias desse período que guardei para estar aqui, nessa nossa jornada.
 
À época, no entanto, vive-se diante da necessidade de projeto de vida, de uma alternativa viável, de se querer saber a quê direção se navega.
De nosso diário de bordo, 18 de novembro de 2015

impossível

Divulgue!

No Comments

Post a Comment