A jornada

A jornada

O sutil de estar em navegação conosco, transcende o espaço em que nos limitamos por embaraços, onde "ninguém sabe" e "ninguém viu".

 

Há que se dar espaço ao conhecimento da presente nave em que nos libertamos por meio dessa nossa jornada de navegação constante.

 

A mim e em muitas de minhas aventuras, ainda que eu não muito consciente estivesse a respeito disso, posso dizer que havia sim um fio condutor de boa vontade em decidir pelo melhor que viesse a meu caminho. Por isso, saber dele, quando mais novo, sem ser ainda um navegador, estando mais um “eu-à-deriva”, compreende em ter alcançado um meio de encontrar a quem daqueles que de outra forma eu não encontraria. Então, cada uma das aventuras, por mais que ainda eu a vivesse de forma até solitária em decidir sobre meus caminhos, encontra, a exemplo do que já vivido, os mesmos daqueles que com boa fé seguiam em suas jornadas.

 

De nosso diário de bordo, 11 de maio de 2016.

Divulgue!

No Comments

Post a Comment