O necessário a se contar

O necessário a se contar

É preciso que se diga que aquele que acha que se esconde do pior por não encarar os fatos que lhe advém, a si mesmo se boicota, cai no mar e afunda temerariamente.

 

É preciso narrar algumas histórias, das quais se apreende alguns motivos para nos percebermos aqui, nessa nossa jornada.

 

Todos os eventos aqui contados tratam de fatos reais. As histórias são sobre pessoas que estão, estiveram ou poderão estar conosco em algum momento de nossa atual jornada.

 

É cedo, início de manhã, Ana está a todo vapor orientando, do convés da nau, o que se tem a amparo nessa cena que se segue a nossa chegada nesse porto que, por ora, atracamos com alguma sensação de calmaria no dia 07 de maio de 2016.

 

Mais reais são os fatos percebidos como nos colocamos a salvo a nós mesmos. De tudo que se tem por experiência nesse sentido, sabe-se dos efeitos em razão dos eventos que são claros, embora muito mais assustadoramente terríveis possam parecer do que, quem sabe, sejam em virtude de nossos próprios temores.

 

É cena que começa em nossas boas vindas aqui!

 

De nosso diário de bordo, 15 de maio de 2016

Gi Nascimento

Divulgue!

No Comments

Post a Comment